O que diz Molero

O que diz Molero Teve uma inf ncia estranha disse Austin Em ltima an lise todas as inf ncias o s o disse Mister DeLuxe Molero diz disse Austin que a inf ncia do rapaz foi particularmente estranha condicionada

  • Title: O que diz Molero
  • Author: Dinis Machado
  • ISBN: 9789722524117
  • Page: 307
  • Format: Paperback
  • Teve uma inf ncia estranha , disse Austin Em ltima an lise, todas as inf ncias o s o , disse Mister DeLuxe Molero diz , disse Austin, que a inf ncia do rapaz foi particularmente estranha, condicionada por quest es de ambiente que fizeram dele, simultaneamente, ator e espectador do seu pr prio crescimento, l dentro e um pouco solto, preso ao que o rodeava e desviado Teve uma inf ncia estranha , disse Austin Em ltima an lise, todas as inf ncias o s o , disse Mister DeLuxe Molero diz , disse Austin, que a inf ncia do rapaz foi particularmente estranha, condicionada por quest es de ambiente que fizeram dele, simultaneamente, ator e espectador do seu pr prio crescimento, l dentro e um pouco solto, preso ao que o rodeava e desviado, como se um el stico o afastasse do corpo que transportava e, muitas vezes, o projetasse brutalmente contra a realidade desse mesmo corpo, e havia ent o esse cachoar violento do que era e a espuma do que poderia ser, a asa tenra batendo chuva.

    One thought on “O que diz Molero”

    1. Mi-am cumparat cartea asta pentru ca "sfatul criticului" spune "sa nu ratam cuvintele sau pasajele puse intre paranteze patrate. Ele va arata cum opera cenzura comunista". Boss, sincer, erau doar cateva pasaje -sa fi fost 5?!- si toate cu imagini vizuale (de ce nu si auditive?!) care mie mi se par scarboase. E normal ca domnii de la partid sa fi dorit ca un element de descriere ca "si-a prins piele testiculelor in fermoarul de la pantaloni" sa nu apara pe-acolo, pentru ca -sincer!- chiar nu e un [...]

    2. Hmm. Ciudată carte. Coperta 4 ne spune că avem de-a face cu "piesele unui puzzle tăiate din viaţa unui "băiat de cartier""; ceea ce nu ne spune e că sunt piese disparate, din care nu va rezulta o imagine finală, pentru că autorul ne lasă, elegant, în ceaţă. De altfel, e o ceaţă extrem de plăcută, presărată cu poezii şi poeme în proză, pasaje pline de umor şi multe-multe simboluri şi trimiteri la personaje reale şi evenimente aşijderea (eu, una, mărturisesc că nu le-am [...]

    3. Misto de emoções. Este livro tanto me deslumbrava pelo seu sem-sentido como me aborrecia com a simples enumeração de coisas.

    4. Grande literatura é isto: domínio da palavra a benefício da narrativa, espessa, sumarenta, cheia de coisas a dizer e de indícios doutras que ficam por enunciar. Estórias e estorietas, há muito quem conte, alguns até reputados de bons escritores; mas O que Diz Molero (1977) é a história, narrada de forma múltipla, dum escritor de obra escassa, sete títulos, três dos quais sob o pseudónimo Dennis McShade.Li-o por volta de 1983, e voltei agora (Fev. 2013) a ele, no Clube de Leitura do [...]

    5. Segundo livro lido no âmbito do desafio #lerosnossos, idealizado pela @claudiaosimoes Austim e Mister DeLuxe analisam um relatório dirigido por Molero acerca de um certo rapaz cujo nome nunca sabemos e muito menos quais os factos que provocaram tal investigação a este rapaz… Durante a leitura vamos conhecendo os vários factos pessoais vividos pelo rapaz. Esta viagem é feita para que o leitor tente compreender quem é e qual o rumo tomado na sua vida, pequenos pedaços de histórias que s [...]

    6. Ler O que diz Molero não só me possibilitou a tomar contacto com a tão admirável escrita de Dinis Machado - um escritor que, citando Nuno Artur Silva no posfácio deste livro, ''não era do «mundo literário», da literatice, dos protocolos e dos salões. O Dinis era da vida.'' - como me alimentou ainda mais o interesse pela literatura portuguesa, que tem vindo a crescer. E foi assim que um escritor que há tempos me era totalmente desconhecido me cativou, e de que maneira, com esta obra fe [...]

    7. Me costó mucho, mucho, entrar en el libro: el hilo conductor tan tenue, tan frecuentemente sometido a digresiones, la escasez de tiempo diario que me obligaba a leer pocas páginas cada vez y finalmente la dificultad que le encontré al vocabulario hacían que me encontrase releyendo páginas sin tener claro si las había pasado ya o no (en libro 'de papel' no suelo marcar dónde dejé la lectura, me gusta releer en diagonal hasta encontrarme de nuevo dentro de la trama). Destacaría el humor ( [...]

    8. Damos por nós a ler um relatório que não se sabe bem porque surge, nem quem o encomendou, nem porque foi aquela vida escolhida para análise em detrimento de outra. Mais que extraordinário, iglantónico é mesmo a palavra que melhor o descreve. Livro para reler e reler e reler outra vez!

    9. "O que diz Molero" é um romance no qual duas personagens (Austin e Mr Deluxe) falam sobre um relatório escrito por Molero. O relatório em questão segue a vida de um rapaz.Quem é o rapaz? Qual o propósito deste relatório? Para quem trabalham Molero, Austin e Mr Deluxe?Todas estas perguntas surgem apenas na cabeça do leitor e aí permanecerão sem resposta.O que Molero diz, ou na verdade o que Austin e Mr Deluxe dizem que vem no seu relatório, é um relato do crescimento do rapaz através [...]

    10. Penosa leitura. Enumeração sem fim de referências aleatórias (culturais, sociais etc), muitas delas demasiado datadas para terem ainda eco hoje. E é isso, sem mais. Desclassificou aos meus olhos os autores de epítetos como "livro bomba" ou "não ganhou uma ruga" que ilustram a capa e contra-capa. Mais que uma desilusão, um logro.

    11. O que diz Molero forma um relatório no qual regista a vida de um “rapaz”, e que por sua vez é lido por um homem chamado Austin a um homem chamado Mister DeLuxe, porque razões misteriosas não sabemos. O livro está, portanto, cheio de camadas, e o autor salta de uma para a outra com uma agilidade impressionante. No entanto, o dispositivo do “relatório” (que começa por ser uma curiosa bisbilhotice à infância do rapaz e que, pelos comentários que suscita nos que o leem, permite rev [...]

    12. Publicado pela primeira vez em 1977, “O que diz Molero” tornou-se no maior sucesso literário de Dinis Machado, tanto ao nível da crítica como ao do público. Em vez da habitual estrutura por capítulos, a obra segue num só bloco de texto, fazendo as separações entre a leitura do relatório de Molero sobre o rapaz e os diálogos/comentários entre Austin e Deluxe, os leitores do dito relatório, através do duplo espaçamento. Também em relação aos diálogos não temos os costumeiros [...]

    13. «Teve um infância estranha», disse Austin. «Em última análise, todas as infâncias o são», disse Mister DeLuxe.

    14. Good portuguese book. It's a classic but kinda weird and didn't make sense sometimes. Great story though.

    15. Li o livro há muitos anos. Vi a peça encenada pelo António Feio e pareceu-me um bom livro para discutir. Assim não foi a discussão foi mornaO livro é estupendo. Um clássico!

    16. Um livro obrigatório da literatura portuguesa do século XX. Se ainda não o leu, faça-o já. Estou certo que, em seguida, o recomendarão.

    17. "«Diz: coração, bússola doida.» «Literário», disse Mister DeLuxe, «e, além de literário, devia ser para apagar, porque está escrito a lápis.»"

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *