O Varandim, seguido de Ocaso em Carvangel

O Varandim seguido de Ocaso em Carvangel Um canh o assombrando uma cidade Um pat bulo armado de noite Um istmo que conduz a uma cratera Uma dilig ncia cercada por c es selvagens Nuvens de grifos imundos sobre o mar A batalha sangrenta dos pe

  • Title: O Varandim, seguido de Ocaso em Carvangel
  • Author: Mário de Carvalho
  • ISBN: 9789720044129
  • Page: 110
  • Format: Paperback
  • Um canh o assombrando uma cidade Um pat bulo armado de noite Um istmo que conduz a uma cratera Uma dilig ncia cercada por c es selvagens Nuvens de grifos imundos sobre o mar A batalha sangrenta dos pescadores Uma galeria de anarquistas, mais nobres que plebeus A casa de Madame Ricciarda A casa de Madame Musette Dois jesu tas Um padre que toca violoncelo Um navioUm canh o assombrando uma cidade Um pat bulo armado de noite Um istmo que conduz a uma cratera Uma dilig ncia cercada por c es selvagens Nuvens de grifos imundos sobre o mar A batalha sangrenta dos pescadores Uma galeria de anarquistas, mais nobres que plebeus A casa de Madame Ricciarda A casa de Madame Musette Dois jesu tas Um padre que toca violoncelo Um navio que n o chega mais Uma opereta com ecos de trag dia Sol, luz, n voa e lua Oito mulheres, as duplos, triplos e qu druplos De como a vida engana a morte Ou o inverso Porque h em gente pacata uma apet ncia de morte t o grande Porque que nunca se regressa daquela viagem Porque que aquele navio n o chega Porque que aquele canh o jamais dispara

    One thought on “O Varandim, seguido de Ocaso em Carvangel”

    1. Duas novelas escritas com virtuosismo, segurança e muito sentido de humor, por aquele que deve ser o melhor escritor de prosa português da actualidade.

    2. É absolutamente notável a forma como Mário de Carvalho honra o património imenso da Língua Portuguesa. Com o saber-fazer de quem já leva décadas de ofício, poderia, certamente com sucesso, limitar-se a contar histórias escorreitamente. No entanto, revelando um profundo respeito pelo leitor e uma devoção desmesurada pela Língua Portuguesa, Mário de Carvalho maneja as palavras com a precisão e agraciosidade de um artífice que bule na preciosa mas frágil filigrana, oferecendo-nos um [...]

    3. O primeiro livro que li de Mário de Carvalho, é um livro com dois contos “largos” (O Varandim e Ocaso em Carvangel), e que têm como pontos comuns, além, claro, da linguagem apurada, diria mesmo, muito trabalhada, do autor, um humor quase negro disfarçado nas descrições trágicas e fantasiosas das duas histórias, e sobretudo o “terrorismo” totalmente presente no primeiro conto e apenas enunciado no segundo.Toda a imensa imaginação de Mário de Carvalho está aqui patente, e minu [...]

    4. Em dois contos, situados em dois grã-ducados imaginários, algures na passagem do século XIX para o XX, Mário de Carvalho apresenta-nos características e dramas humanos como a ambição, a hipocrisia, o medo do desconhecido, o deslumbramento por coisas banais, a indiferença por coisas menos banais ou mesmo perigosas, o acreditar em coisas fáceis porque é mais fácil, a esperança, a desilusão, a desumanidade.Tudo nos é apresentado numa escrita fresca, de tão criativa, com pormenores ge [...]

    5. O Varandim seguido de Ocaso em Carvangel brinda-nos com duas novelas de época, sobre as quais pairam conspirações anarquistas (mais ostensivas em O Varandim). Mais uma vez, Mário de Carvalho mostra ser um óptimo contador de histórias, fabricando magistralmente os cenários e as personagens com uma boa pitada do seu humor, subtil e eficaz, como é habitual, ao que junta elementos retirados do fantástico (evidentes em Ocaso em Carvangel, sobretudo). Tudo isto surge enriquecido pelo absoluto [...]

    6. Mário de Carvalho displays his command of Portuguese language on these two short stories. However, that was not enough to make me look forward to reading this book. The plot was, in both cases, quite frail and I kept losing the thread, to be carried away just by the words. If in a couple of weeks I'll be asked about what these stories are about, I'll very likely be unable to answer I miss the Lisbon background in his books. The Lisbon that I also know and miss! Please write more about the stone [...]

    7. There is this inescapable quality in Mário de Carvalho's writing that makes all his books enjoyable, even when not at his best. The precision he puts in his descriptions of ambiance and characters is immaculate, providing for vivid images, and nothing is ever short of wit and his trademark irony.In the present case, two novellas set in a fictional germanic empire populated with several clueless characters give funny, albeit serious, subject matter to reflect about what there is in the human nat [...]

    8. Perdendo-se nos devaneios de quem quer parecer mais do que ser, Mário de Carvalho ensina algo a quem queira escrever. Nem sempre vale a pena besuntar-se de ouro em detrimento do conteúdo que suporte a riqueza que o adorna. "O Varandim ()" recolhe os seus louros em momentos fugazes de algum suspense e nas secções descritivas que não abusam do senso comum quando ele nos diz "já chega". Numa palavra, presunçoso.

    9. São dois contos “O Varandim” e o “Ocaso em Carvangel”, onde se pode deliciar com a fantástica e deliciosa literatura de Mário de Carvalho, mais que os contos, e as suas histórias o património literário e o gosto pela língua portuguesa são o espelho desta obra.Uma leitura agradável, realmente uma escrita refinada e de muito bom gosto, uma leitura aconselhada.

    10. Dois romances, duas histórias em que a personagem é arrastada para a vida de toda a gente quando apenas quer viver a sua em paz. E dois finais melancólicos, definitivos e completamente relaxados.Tudo o que eu espero deste escritor, tudo no meio de um mundo caótico, com mudanças ao virar da esquina e uma catástrofe a um fio de cair por cima das nossas cabeças.

    11. Sei que vou dar uma opinião muito subjectiva. Em todo o caso: gostei mais de O Varandim. O Ocaso em Carvangel chegou a ser algo aborrecido Dei 3 estrelas pela média mas o 2o isoladamente receberia menos. Talvez a obra menos interessante deste excelente autor.

    12. “Sua eminência [] Tinha mesmo afirmado que um bom enforcamento exemplificava mais do que seiscentos apotegmas. - e o que diz o senhor arcebispo de tu nunca te levantares a horas da missa? - aí funciona mais o espirito do perdão”Duas histórias que recomendo!

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *