Aparição

Apari o Apari o um romance de Verg lio Ferreira que discute teorias filos ficas relacionadas com o existencialismo escrito em primeira pessoa Do livro Sento me aqui nesta sala vazia e relembro Uma lua quente

  • Title: Aparição
  • Author: Vergílio Ferreira
  • ISBN: 9789722502511
  • Page: 270
  • Format: Paperback
  • Apari o um romance de Verg lio Ferreira que discute teorias filos ficas relacionadas com o existencialismo, escrito em primeira pessoa.Do livro Sento me aqui nesta sala vazia e relembro Uma lua quente de Ver o entra pela varanda, ilumina uma jarra de flores sobre a mesa Olho essa jarra, essas flores, e escuto o ndicio de um rumor de vida, o sinal obscuro de uma mem Apari o um romance de Verg lio Ferreira que discute teorias filos ficas relacionadas com o existencialismo, escrito em primeira pessoa.Do livro Sento me aqui nesta sala vazia e relembro Uma lua quente de Ver o entra pela varanda, ilumina uma jarra de flores sobre a mesa Olho essa jarra, essas flores, e escuto o ndicio de um rumor de vida, o sinal obscuro de uma mem ria de origens.

    One thought on “Aparição”

    1. - Capela dos Ossos, Évora "A vida real não eram as leis dos outros e a sua sanção e o seu teimoso estabelecimento de uma comunidade para o furor de uma plenitude solitária. O absoluto da vida, a resposta fechada para o seu fechado desafio só podia revelar-se e executar-se na união total com nós mesmos, com as forças derradeiras que nos trazem de pé e são nós e exigem realizar-se até ao esgotamento."Eu estava numa espécie de crise (em que geralmente me encontro). Não me apetecia le [...]

    2. Se as palavras são pedras, em Vergílio são obsidianas: vidros opacos, negros como a dureza da verdade que comportam Vidros, sim, que sabemos cortantes e ainda assim desejamos tocar, tão belos, Sofia, tão bela, como uma certeza reinventada à evidência da sua apariçãoEste instante em que te penso, que é simultaneamente passado e futuro, não é menor do que a vida: é ela própria fechada sobre si como testemunho de que o tempo somos nós. A vida, pois, nada é – para quê uma soluçã [...]

    3. Aparição é um livro de leitura obrigatória na minha disciplina de Literatura Portuguesa e eu já estava mais que atrasada na sua leitura e análise, aquele prólogo aborrecia-me e não via maneira de andar para a frente com a história, ainda para mais a minha edição tem letras que dificilmente com uma lupa são compreensíveis, pelo que ontem de manhã escolhi levar este livro comigo e fazer-me a mim própria lê-lo. E li, por volta da uma da tarde já o tinha terminado. Engoli as palavra [...]

    4. Filosofia: não se pode viver com ela, não se pode viver sem ela! Um bocadinho como o haxixe. E o que o sô Vergilio se propôs foi a relatar a história de um tipo (e aqui eu não sei se o sujeito é autobiográfico) que vai para Évora para ser maltratado! À bruta! A Aparição, à boa maneira de Camões, tem camadas, a principal sendo a vida de um professor e a secundária uma teoria filosófica repetida demais. Se eu quisesse generalizar diria que a primeira é uma espécie de Great Gatsby [...]

    5. Numa época em que se apela que sejamos unidos, a Aparição vem dizer que a individualidade do homem é indiscutível, que cada corpo, mesmo que sem auréola divina, é sagrado por ter em si o milagre fantástico da vida e se desfazer dela no absurdo, mas necessário, espetáculo da morte. Procurar moral nesse Deus que não conhecemos nem sentimos é gritar que temos medo. O homem tem-se a si, está puramente só no Universo que o esquecerá dentro de poucos minutos. Que fazer? Ser a raiz de n [...]

    6. A história e o enredo de um individuo maltratado!Sobre egos e eus. Coisas de humanos!Filosofias existencialistas e dúvidas sobre a vida e a morte.Sobre Deus.Sobre medos.Sobre a essência de nós.Sobre entendimentos.Sobre comunhao. Sobre destino.Sobre prisão.Sobre o Universo.Sobre interrogações que fazemos a nós e cujas respostas ainda procuramos“Mas o que sei é que o homem deve construir o seu reino, achar o seu lugar na verdade da vida, da terra, dos astros, o que sei é que a morte n [...]

    7. This is a wonderful book and I was privileged to know both it's Author (who was my Latin Teacher for two years at High School) and some of it's characters too. The book has been translated into many languages and is a wonderful incursion into the questions of life and death, friendship and love. Este é um livro extraordinário. Tive a sorte de ter sido aluna de Virgílio Ferrereia durante dois anos, em que o contacto com a turma de latim era diário. Para além disso, conheci também a pessoa r [...]

    8. One of my favorite books of all time!I was forced to read it in school and at time I tought to myself: another boring book!I never tought I would be so amazed by writing style of Vergílio Ferreira and the story involving the charactersof this book! A master piece of Portuguese literature and a deep reflexion about life and the human condition!

    9. Blog tempodler/2012/07/Nunca comecei um livro que não acabasse de ler…NUNCA…mas desta vez estive muito perto!Não apreciei minimamente todo este existencialismo sensaborão onde o homem ocupa o papel central - um ser complexo, fruto exclusivo dos seus actos e escolhas. À medida que acompanhamos Alberto Soares nas diferentes fases da sua vida ficamos a conhecer os seus pensamentos, sentimentos, angústias e inquietações, testemunhando a forma como somos responsáveis não apenas por nó [...]

    10. Antes de mais é necessário estar muito atento para compreender todas as nuances desta narrativa. É preciso ler com calma, até reler certas frases e refletir sobre as mesmas. Penso que a minha maturidade e experiência de vida, por enquanto, não chegam para perceber esta história na totalidade. É um livro que pretendo reler ao longo da vida, pois trata-se de um extraordinário exercício de reflexão no que toca a questões existenciais que por vezes nos assolam.

    11. Todos nós nos perguntamos já “quem sou? para onde vou? porque estou aqui?”, por certo quase todos já pensamos na(s) resposta(s), que mais não fora para concluirmos que nada sabemos, desconhecemos, que estavamos ainda em busca da resposta, do nosso grail.É exactamente por aqui que o autor começa, coloca as suas dúvidas e dá a sua resposta àqueles com quem convive na cidade de Évora, na família do Dr. Moura e amigos chegados. São costumes e modos de vida, são intrigas, ilusões, p [...]

    12. Terminei de ler esse *Aparição*, de Vergílio Ferreira. É curioso ver as avaliações do livro no **. Vão desde de uma única estrela - e uma acusação de excessiva pretensão da parte do autor - até as cinco estrelas, merecidas na minha humilde opinião, mas nem sempre concedidas pelos motivos mais acertados.É verdade que Vergílio Ferreira afirma lá um seu existencialismo, um ateísmo rude e naturalista, mas o faz de pés no chão, de coração, sinceramente. Admite a possibilidade de [...]

    13. Citações: -Ouça, doutor: se alguma coisa me preocupou sempre foi ser consequente, unir o que faço ao que sinto. Porque não faz o mesmo?- Como não faço o mesmo?- Oh, não fazSe o fizessse,já me tinha beijadoAliás, dominar uma inocência é talvez uma fraqueza que quer imitar a força.Mas, se através dos tempos, o homem pensasse apenas na utilidade prática, não seria um homem, seria um parafuso.Ver não é um erro. O que acontece é que nem todos os olhos aguentam: a cegueira que aí n [...]

    14. So, final veredict: I really liked it. I can't say I loved it in a deep deep way, but it was unquestionably good. Vergílio Ferreira has an amazing way of expressing himself and his writing is overwhelming, beyond perfection. The storyline wasn't brilliant, but the philosophy issues, life and death matters, questions about existencialism, all of these made this book worth reading. I can't wait to read more of Vergílio's work.

    15. "Sabe o que quer? Todos julgamos que o sabemos. E depois um acidente qualquer vem-nos provar que não."Disse Vergílio Ferreira: O que pretendi em Aparição foi a necessidade, para uma realização total do homem, de ele se redescobrir a si próprio, não nos limites de uma estreita individualização, mas no da sua condição humana.

    16. Leitura no âmbito do programa da disciplina de Literatura Portuguesa.Este livro está cheio de reflecções que, no fundo, todos fazemos durante a nossa vida. Adorei e irei ler mais tarde, dessa vez sem obrigações.

    17. Tenho algum interesse em reler este livro porque recordo-me ter detestado como nunca detestei um livro, lembro-me de quase praguejar ao pensar que tinha de lê-lo até ao fim. Talvez agora mude a minha opinião.

    18. dos 4 romances que li do Vergílio, este foi aquele que menor prazer me deu. siga para bingo, melhores haverá para ler.

    19. "Então, quase serenamente, tomei Sofia nos braços e ambos nos sentimos perdidos de aflição como no último amor de dois condenados à morte."

    20. I would give to his writing all the stars. Why only three then? Because I lacked empathy with the main character, the narrator - because I felt I could touch the distance that separated us. Because looking at him, reading his mind was like looking at my past, at the existentialism that lived in me for a couple of years - and now I've moved away from it, and if my current self is always my fave one, then that only distances me more.

    21. Foram duas tentativas, uma sem sucesso, e a outra como podem ver. Não sei bem o que opinar acerca desta leitura, apenas sentir, filtrar as palavras certas e imprimir para o teclado tudo aquilo que achar pertinente.Só sei que não é para todos!

    22. Um romance muito ao estilo de Vergílio Ferreira. A condição do homem é explorada ao longo de 273 páginas sempre aliada a uma profunda crise existencial. Vergílio Ferreira e o seu classicismo não é para todos. Os seus rasgos filosóficos e a sua prosa clássica e formal por vezes torna-se cansativa para alguns. Para mim é sempre uma lufada de ar fresco e, este livro não foi excepção.Quem me conhece sabe que sou uma leitora entusiasta de Vergílio Ferreira e, talvez por isso a minha op [...]

    23. Mais outro que vai ter que ser relido e com olhos de ler, passo a expressão :PPrimeira leitura em 2010.EDIT a 27 de Outubro de 2012:Finalmente já reli este livro e embora não tenha mudado a classificação (não acho que tenha havido tanta diferença na parte do gostar) admito que consegui olhar para este livro sob uma nova visão. Após ter umas linhas orientadoras, para a leitura activa deste livro, consigo ver que a percepção do leitor é capaz de fazer muita coisa, inclusive fazer com q [...]

    24. “E, todavia, como é difícil explicar-me! Há no homem o dom perverso da banalização. Estamos condenados a pensar com palavras, a sentir com palavras, se queremos pelo menos que os outros sintam connosco. Mas as palavras são pedras.”"Tu disseste que era diferente, que vermo-nos não era vermo-nos nos outros. Quando a gente sente a sério uma coisa, julga que ninguém mais a sente. Julga-o, porque é difícil exprimir isso que sente. Tu julgas que o velho Deus e a violência estúpida da [...]

    25. O ritmo alucinante dos pensamentos, a criatividade das descrições e o uso maravilhosamente excessivo de recursos estilísticos na transmissão de emoções tornaram-se, para mim, marcos gritantes da escrita de Vergílio Ferreira, que neste 'Aparição' se exalta - "ao mais alto nível". Não é um livro fácil de engolir, os momentos de 'boca aberta' são frequentes e o cariz existencialista exige um determinado estado de espírito para nos deixarmos envolver, mas é sem dúvida uma das grande [...]

    26. "Tento, há quantos anos, vencer a dureza dos dias, das ideias solidificadas, a espessura dos hábitos, que me constrange e tranquiliza. Tento descobrir a face última das coisas e ler aí a minha verdade perfeita."

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *