Laços de Família

La os de Fam lia You can find an alternative cover for this ISBN here Treze contos que quando publicados criaram grande impacto no p blico e na comunidade liter ria A autora os concebeu como se o leitor estivesse pa

  • Title: Laços de Família
  • Author: Clarice Lispector
  • ISBN: 9788532508133
  • Page: 480
  • Format: Paperback
  • You can find an alternative cover for this ISBN here.Treze contos que, quando publicados, criaram grande impacto no p blico e na comunidade liter ria A autora os concebeu como se o leitor estivesse participando da elabora o de uma pintura.

    One thought on “Laços de Família”

    1. My friends at the Quezon City Hall directed me to the home of this masterpiece. I remember it was a meat shop before. I passed by it almost everyday but never noticed its transformation into a bakery. Maybe because the facade didn't change much. Nor did it ever sport any signboard announcing "bakery." The expensive meat shop sign is gone ("Monterey") and in its stead just this simple sign: "Toasted Siopao."Siopao is a kind of Chinese dimsum: white bread, roundish, fillings (usually meat-based) a [...]

    2. Foi o meu primeiro namoro com esta autora brasileira, de origem ucraniana.Pisei o tapete das sua palavras hesiteicueitentei de novo. Fiquei enleada na sua escrita pantanosa e crua. Depois de entrar encontramo-nos ou a um outro.Sou mulher o seu livro de contos respira, sobretudo, a vida mundana da mulher burguesa nos anos 60.A percepção de uma linha ténue que separa um ser acomodado a uma vida caseira e familiar e um outro ser selvagem que anseia por viver é o que estrutura algumas destas peq [...]

    3. Ghiaccio bollenteSettimana scorsa ho conosciuto Suerte.Suerte è un levriero da corsa, molto simile a questo,levrieri/site/images/s sua padrona lo porta (insieme ad altri tre levrieri di taglia più piccola) a passeggiare nei giardini dietro casa mia; è stato adottato per salvarlo da chi, dopo averlo sfruttato nelle corse clandestine, aveva decretato la sua soppressione (una fine che tocca a molti cani come lui). Ma Suerte non è un vecchio cane ormai inadatto alle corse: gli è stata amputata [...]

    4. Não foi amor "à primeira leitura", quando comecei achei a escrita estranha e o primeiro conto não me seduziu. Depois foi um pouco: " primeiro estranha-se, depois entranha-se" e quando dei por mim estava rendida à delicadeza de pormenores e à forma como põe a nu a alma das personagens numa escrita deliciosa, cheia de sensibilidade. Não gostei de todos os contos, alguns deles deixaram-me indiferente, outros fizeram-me rir, um em particular,"A mulher mais pequena do mundo" deixou-me um nozin [...]

    5. ¡Inmensa! No estoy muy de acuerdo con Lídia Jorge. Me gusta más la Clarice de largo recorrido, la de las novelas aunque es fascinante ver los brotes de lo que después serían magníficas historias. Lídia Jorge la incluye en un grupo interesante: Faulkner, Kafka, Joyce, Pessoa y Woolf :)

    6. Knowing that I love Haruki Murakami and having read Murakami's short story collection, After the Quake, a good friend of mine recommended this collection of short stories by Brazilian author Clarice Lispector, Family Ties. And I am so glad she did.Though written in 1960, the stories are timelessly modern. The edition I read had an excellent introduction that explained Lispector's interest in existentialism and the works of Sartre and Camus. As the translator explains, Lispector "is intent upon c [...]

    7. Discovering Lispector: Family resemblances to the classical traditionBenjamin Moser's fine biography introduced me to Clarice Lispector, a Brazilian journalist, novelist, essayist, and short story writer whose tragic life began in Ukraine and ended in the 1970's in Rio. The beautiful and brilliant Clarice, an icon in Brazil, was born to a syphilitic mother whose early death she lamented her entire life. When she was two months old Lispector’s family fled the pogroms of the Ukraine for the hint [...]

    8. A Menor Mulher do Mundo, Preciosidade, Amor e Feliz Aniversário: meus preferidos.O bom mesmo: a escrita de Clarice. Encantadora.

    9. De tu fisura nace la realidad.David Foster, autor impertérrito, decide utilizar el concepto lacaniano de lo real para designar cierta experiencia estética que abre, como si se tratasen de aquellas puertas de la percepción tan mentadas por Huxley, o quizá entorna, siguiendo la línea artaudiana que dice que el arte es una puerta entornada hacia lo inexpresable, la mirada hacia lo que hay detrás de todas las cosas, de todas las representaciones- el núcleo, lo que queda cuando no queda nada, [...]

    10. The books were hard to understand because they were so dense. However once you analyse the text and break it down you get to a really deep meaning. It's sad, but it's really good. Don't read it though. Waste of time.

    11. Publicado em 1960, Laços de Família reúne 13 contos escritos pela escritora entre 1943 e 1955. Os 13 contos chamam-se: "Devaneio e embriaguez duma rapariga", "Amor", "Uma galinha", "A imitação da rosa", "Feliz aniversário", "A menor mulher do mundo", "O jantar", "Preciosidade", "Os laços de família", "Começos de uma fortuna", "Mistério em São Cristóvão", "O crime do professor de matemática" e "O búfalo". A maioria dos protagonistas dos contos são pessoas comuns abaladas por uma e [...]

    12. Clarice en entrevista. Unos ojos concentrados que van a buscar las respuestas al costado derecho (en realidad que se van a perder en el infinito de su interioridad) antes de clavarse, penetrantes, en el entrevistador. Una boca dura con pliegues de tristeza que se forman. Algo animal, desconfiado.Fuma con elegancia de mujer. Dice que es a la vez tímida y audaz, maternal con los niños y que los adultos son siempre tristes y solitarios. Ella tal como aparece ahí, a pocos días de fallecer, ya es [...]

    13. Una fascinante colección de trece cuentos, siete de los cuales fueron publicados por primera vez en 1952; es en la segunda edición publicada en 1960 que se agregan los seis cuentos restantes y que la colección toma su nombre desfinitivo. Lo leí en la traducción de Cristina Peri Rota.Clarice Lispector ha sido comparada, con Virgina Woolf, con James Joyce y con Katherine Mansfield y aunque uno entiende las razones que pueden llevar a la comparación, la escritora brasilera se muestra en esta [...]

    14. Em "A Muralha e os Livros", Borges escreveu: "A música, os estados de felicidade, a mitologia, os rostos trabalhados pelo tempo, certos crepúsculos e certos lugares querem nos dizer algo, ou algo disseram que não deveríamos ter perdido, ou estão a ponto de dizer algo; essa iminência de uma revelação que não se produz é, quem sabe, o fato estético". É aí que está Lispector em "Laços de Família": na iminência que uma revelação que não se produz (ou que se produz e se dissipa, c [...]

    15. She writes with such passion , her world is introspective. I like the way she puts her thoughts and feelings above actions.Boredom of everyday life , as the day slowly passes by , a short moment of some unexpected event which has not shaken the routine at the end

    16. (This review refers to the more recent translation collected in The Complete Stories.)Lispector is strange and really challenging. Thus: short stories are actually a great place to start with her. This collection has some wonderful pieces. Funny, horrifying, ambiguous, haunting. There's a reason people compare her with Kafka. But she's also bringing a perspective that Kafka could not access to the project.(Reading The Passion According To G.H. is still one of the most inexplicably overwhelming r [...]

    17. Desafio Livrada 2017: um vencedor do JabutiLaços de Família recebeu o Jabuti de Melhor Livro de Contos em 1961. É a primeira coletânea de Clarice. São contos profundamente psicológicos, intimistas, que acompanham personagens cujas certezas da vida são abaladas por acontecimentos mundanos e cotidianos. Como toda coletânea é irregular, com alguns contos sendo por demais subjetivos para o meu gosto. Meus preferidos foram "Os Laços de Família", "Uma Galinha", "Feliz Aniversário" e "A Imi [...]

    18. Entediante. O livro não me cativou em nenhum conto. A escrita da Clarice é arrastada, repetitiva e muito subjetiva, o que tornou a experiência de conhecer sua obra um verdadeiro martírio. Talvez, a única coisa que se salve desta obra é o espírito feminista que está presente, de forma sutil é óbvio, em alguns contos.

    19. É impressionante como todos os contos desse livro tornam-se marcantes e dão início a uma série de reflexões inesperadas.

    20. Esse livro é bem difícil de interpretar, suas histórias tem um sentido por trás muito profundo. Espero que eu consiga entender todos os contos pra prova que vou fazer dele ;)

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *